.: Vestes:.

  .: Vestes:.

 

De todas as criaturas vivas, o ser humano é o único que cobre seu corpo com roupas.
Apesar do motivo mais óbvio para nos cobrirmos seria trazer proteção ao corpo contra os elementos naturais, diversos estudos antropológicos mostram que até os povos das regiões mais quentes, se cobriam de alguma forma. Mas por que?

  No princípio o homem e sua esposa andavam nus e não tinham vergonha (Gn 2:25). Porém, foi permitido à serpente enganar o homem. E eles caíram e foram contaminados pela semente do mal e adquiriram uma natureza corrompida e má. Não suportaram mais estar nus um perante o outro e ambos perante D’us. Seus próprios desejos sexuais foram contaminados e distorcidos pela semente maligna. Desde então, o homem sofre muito pelo erro de Adão.

  D’us viu a necessidade do homem ter que se vestir. Ele mesmo os vestiu, ,sacrificando um animal , fruto de Sua própria criação, e os vestiu com a pele do animal.

  Em primeiro lugar, a palavra em hebraico para “vestimenta” é LeBUSH. Ela provém da palavra BUSH, que significa vergonha. A própria estrutura da língua hebraica indica que as roupas são vestidas devido à vergonha.

  Outra palavra em hebraico para “vestimenta” é BeGueD. Ela tem a mesma raiz que a palavra BaGaD. Que significa rebelar-se. Isto indica que o ser humano usa roupas porque se rebelou contra o D’us vivo.

  LaBeSH e seus derivados revelam três campos de uso. Vestimentas no sentido literal, hierárquico ou de caráter, recurso poético para comparar vestimentas com qualidades abstratas.As filhas de Davi indicavam sua realeza quanto a sua virgindade (2Sm13.18). A cor púrpura de Ezequiel 23.6 mostra nobreza ou realeza. O favor do rei e suas conseqüências eram demonstrados com o uso de roupas especiais como José (Gn 41.42) e Mordechai (Et 6.11). Os trajes revelavam também desejo de prazeres sensuais (Jr 4.30) ou prosperidade (Pv 31.21). Trocar as vestes tipificava a santidade ao entrar no Santo dos Santos no futuro templo de Ezequiel (Ez 42.14).Podia-se identificar o ofício da pessoa pelo seu traje (Zc 13.4, Ez 38.4).

  Também momentos de tristeza como viuvez (Gn38.19), pesar (2 Sm14.2;Et 4.1) e arrependimento (Jn 3.5)Na visão de Zacarias, a condição pecaminosa de Josué é indicada pelos seus trajes sujos (Zc3.3). Na linguagem poética de Jó, ele descreve sua carne como “vestida de vermes” (Jo7.5).

  Quando D’us vestiu Adão e Eva com peles (Gn 3.21), Ele forneceu um símbolo bastante significativo. Essas vestes são interpretadas como uma demonstração da necessidade de sacrifício.

  O verbo e seus derivados também são empregados para designar qualidades abstratas. D’us está vestido de majestade e poder (Sl 93.1). D’us é desafiado a vestir-se de força (Is 51.9).Preparando-se para o Juízo, Ele se veste de justiça, salvação, vingança e zelo (Is 59.17).

  Pessoas podem vestir-se de várias qualidades. De justiça (Jó 29.14).Salvação (2 Cr 6.41) e força (Is 52.1).Vestidos do Espírito (Jz 6.34, 1 Cr12.19,2 Cr 24.20). Qualidades negativas, tais como vergonha (Sl 35.26, Jó 8.22) e maldição ( Sl 109.18). Trapos de imundícia (Is 63.6cf. Zc3.3), os quais D’us retira, e então Ele veste a pessoa com salvação e a retidão divina (Is 61.10).  (Por paraYeshua. Estudo baseado no Livro Tsit Tsit, de Aryeh Kaplan – Ed. Maayanot e no Dicionário Internacional de Teologia do Antigo Testamento da Ed. Vida Nova.)

   É incrível como até o que foi decidido pelo Eterno, por causa do nosso pecado, que é o ato de usar roupas e se vestir, pode, por causa de Seu Filho amado ser motivo de honra e belas metáforas espirituais.

   Nós temos muito amor e temor, e sempre pedimos ao Eterno grasvuras e desenhos que reflitam Seu Reino e Seu coração.

 

Breve História da Kipá

   Os judeus cobrem a cabeça durante a oração, muitos homens ortodoxos vestem uma pequena kipá(em idish, “iarmulka”, ou “kapele”, em hebraico “kipá”) o tempo inteiro para se lembrar da presença de D’us. Talvez esse hábito tenha nascido por causa do ritual do Templo, onde o sacerdote usava uma cobertura de cabeça. O Talmud recomenda que se cubra a cabeça dos meninos pequenos, para educa-los nos bons ensinamentos e serem fiéis ao crescerem. Há relatos, de que, durante a idade média, cobrir a cabeça, mesmo na sinagoga, não era uma prática universal. Os chapéus especiais, que os judeus eram obrigados a usar, nos países cristãos e muçulmanos, presumivelmente, solidificaram este costume. Hoje em dia, a cobertura da cabeça, serve para diferenciar os judeus dos gentios, particularmente dos cristãos, que descobrem a cabeça na igreja. Assim, membros do movimento Chassídico usam geralmente um solidéu de veludo sobre um chapéu preto ou um shtreiml, enquanto muitos israelenses usam um solidéu tricotado. As mulheres ortodoxas, após o casamento, passam a cobrir suas cabeças como sinal de recato, já que a exposição do cabelo é considerada uma forma de exposição indevida.

Baseado no Dicionário Judaico de lendas e tradições de Alan Unterman. JorgeZahar Editor.

   Para muitos de nós, usar a kipá é um modo de cumprir parte do mandamento de Deuteronômio 22:12 Porás franjas nos quatro cantos da tua manta, com que te “cobrires”. Com isso também indicando submissão à D’us e um modo de mostrar que há alguém maior acima de nós.

Por paraYeshua

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: